PRIMEIRO FESTIVAL DA CANÇÃO DO TERRITÓRIO DE IRECÊ ACONTECE EM SÃO GABRIEL

Nos dias 17 e 18 será realizado o I Festival da Canção do Território de Irecê, que acontecerá na Praça Largo da Pátria, em São Gabriel.  O evento contará com programação diversificada composta por palestras, oficinas e aulas-espetáculos em escolas e espaços culturais da cidade e que beneficiará músicos e compositores/as de todos os municípios do Território..

IRE.jpg

O evento é uma culminância do projeto que vem ocorrendo desde julho e contou com diversas atividades formativas como aulas-espetáculos com músicos e compositores/as em escolas e espaços culturais da região; oficina sobre canto, harmonização e arranjos; oficina sobre elaboração e gestão de projetos culturais; palestras sobre políticas de desenvolvimento territorial: avanços e desafios para a cultura. As ações foram todas abertas ao público e realizadas em 03 municípios: Irecê; São Gabriel e Uibaí.

O Festival da Canção nasceu de demandas locais e dos debates realizados nos grupos e coletivos culturais. O foco do projeto é fortalecer as trocas e mecanismos de cooperação entre os grupos envolvidos e possibilitará, através da música, envolver estudantes e demais agentes culturais no conjunto de atividades formativas.

O Festcanti é financiado pelo Fundo de Cultura da Bahia através do Edital Territórios Culturais.

 

Anúncios

Carta aberta ao poder público e a sociedade civil é construída coletivamente por alunos do curso promovido pela Universidade Federal do Recôncavo Baiano e Secretaria de Cultura do Estado da Bahia

 

IMG-20171110-WA0016

Em uma ação pioneira na Bahia, a Universidade Federal do Recôncavo Baiano e a Secretaria de Cultura do Estado da Bahia promoveram um Curso de Formação para Gestores e Conselheiros Municipais de Cultura dos território de identidade do Portal do Sertão, Recôncavo e Vale do Jiquiriça.

O curso foi realizado em sete módulos, as aulas foram ministradas nas cidades de Santo Amaro no  Centro de Cultura, Linguagens e Tecnologias Aplicada (CECULT) da UFRB e no Teatro Dona Canô e em Feira de Santana no Centro de Cultura Amélio Amorim. Agentes culturais, gestores  e conselheiros municipais de cultura debateram importantes temas como cultura, território e democracia; políticas culturais nos âmbitos federal, estadual, territorial e municipal; gestão econômica e financeira da cultura e patrimônio cultural.

Um dos produtos finais do curso foi a elaboração de uma carta aberta ao poder público e sociedade civil, no documento estão importantes reivindicações e discussões acerca da institucionalização da cultura nos municípios baianos, Sistemas Nacional, Estadual e Municipais de Cultura, estratégias para superação da crise econômica através do investimento no setor cultural e desafios a serem superados pelas atuais gestões.

A cerimônia de encerramento da turma integrou a programação do III Encontro Internacional de Economia Criativa – Áfricas Criativas no último dia 10/11/17.

20171110_132712

Durante o evento uma série de apresentações culturais tomaram os palcos do Teatro Dona Canô e do Largo em frente a sede do CECULT, as apresentações culturais são originárias dos municípios participantes do curso, e a realização dos shows com a parceria das prefeituras integrantes do curso.

CARTA-MANIFESTO SOBRE AS PRIORIDADES DAS POLÍTICAS CULTURAIS NOS MUNICÍPIOS BAIANOS

Nos momentos de crise, crie!

Nós, gestores, conselheiros e ativistas culturais reunidos no Centro de Cultura, Linguagens e Tecnologias Aplicadas da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (CECULT/UFRB), em Santo Amaro da Purificação, durante o encerramento do Curso de Formação de Gestores e Conselheiros Municipais de Cultura (UFRB e SECULT-BA) propomos encaminhamentos para a gestão de políticas culturais nos municípios da Bahia.

Considerando a indissolubilidade dos entes federativos e a autonomia dos municípios, conforme previsto na Constituição Federal de 1988;

Considerando os Art. 215 e 216 da Carta Magna, que se referem explicitamente aos Direitos Culturais, aos poderes públicos como garantidores do seu pleno exercício, bem como ao Sistema Nacional de Cultura como modelo de gestão descentralizado e democrático;

Considerando, ainda, a Lei 12.343/2010, que institui o Plano Nacional de Cultura; a Lei 12.365/2011, Lei Orgânica da Cultura, que institui o Sistema Estadual de Cultura da Bahia e a Lei 13.193/2014, que estabelece o Plano Estadual de Cultura da Bahia;

compartilhamos reflexões sobre os desafios da política pública municipal de cultura, ao tempo em que convocamos o poder público e a sociedade civil a construírem alternativas para o fortalecimento de cidadania e para o desenvolvimento sustentável através da valorização do fazer simbólico do povo.

A cultura deve ser pensada desde o momento da elaboração dos planos de governo. A realização de obras em “pedra e cal” não é a única forma de desenvolvimento. É preciso investir na criatividade e alçar o setor cultural como uma das prioridades de governo, caminhando lado a lado com a Educação e Desenvolvimento Social, percebendo que as verbas e recursos destinados ao setor não são gastos, mas sim, investimentos. Investir na Cultura é investir num campo estratégico para o desenvolvimento sociocultural, para a geração de emprego e renda e para a emancipação cidadã.

É preciso criar marcos regulatórios nos municípios, investir na institucionalização dos sistemas municipais de cultura, garantindo a continuidade dos trabalhos realizados nas gestões anteriores.

É preciso investir em ações continuadas e estruturantes. A política cultural não pode se restringir à realização de eventos esporádicos, festas ou grandes espetáculos. Entendemos que o poder público tem o papel de subsidiar o fazer cultural, mas não produzi-lo. Quem produz cultura é o povo!

Faz-se necessário, também, superar o amadorismo e priorizar nas pastas da cultura um corpo técnico qualificado na área cultural, com habilidades políticas e operacionais específicas, além de garantir o compromisso com a formação sistemática dos gestores. Os órgãos da cultura precisam de pessoal, estrutura física e recursos financeiros para trabalhar.

É preciso unir esforços em prol da recomposição do Fundo Nacional de Cultura e garantir o repasse fundo a fundo previsto no Sistema Nacional de Cultura.

Urge fortalecer as articulações entre os municípios no campo cultural, bem como as instâncias de participação e controle social, valorizando iniciativas tais como: Associação dos Dirigentes Municipais de Cultura da Bahia (ADIMCBA), Encontro de Política e Gestão Culturais da Bahia, fóruns, conferências, com atenção para novas conexões e intercâmbios.

Acreditamos que é possível superar os desafios e nós, gestores, conselheiros e ativistas  culturais aqui reunidos, estamos dispostos a contribuir com a sistematização das ações nos nossos municípios, junto ao Estado e à Federação. Mesmo em um cenário difícil, continuamos exercendo nosso papel, amamos o que fazemos e acreditamos no caráter transformador da cultura. O setor cultural é um importante vetor para consolidar a dignidade humana e um elemento estratégico que contribuirá para vencer as dificuldades encontradas nos municípios.

Convidamos o Poder Executivo, Legislativo e a Sociedade Civil dos Municípios Baianos a ousarem no enfrentamento da crise que vem se alastrando no Brasil, reconhecendo as vocações culturais e estimulando as potencialidades locais.

Em todos os momentos, crie!

Deputado Estadual Bira Coroa realiza audiência com a Diretoria de Territorialização da Cultura

Na ultima segunda-feira (13) o Deputado Estadual Bira Coroa, que também é membro titular do Conselho Estadual de Cultura, realizou audiência com o objetivo de discutir sobre a política de territorialização da cultura no Estado da Bahia.

WhatsApp Image 2017-11-14 at 09.27.10                (Deputado Bira Coroa com membros da DTC)

O Deputado foi recepcionado pelo Diretor de Territorialização da Cultura, Wdileston Souza, e o Coordenador de Articulação e Mobilização, Kid Will, que apresentaram os programas, projetos e ações desenvolvidos no campo da cultura, dentre estes foi destacado o Programa Municípios Culturais, o Projeto Roda Cultura, os Editais Setoriais e à realização do Seminário  de Formação e Qualificação em Cultura.

WhatsApp Image 2017-11-14 at 09.40.47(fotografia: Marcos Magno)

O Deputado destacou a importância da atuação da Secretaria de Cultura do Estado da Bahia no fortalecimento das manifestações culturais do Estado.

Seminário propõe a retomada da Rede de Formação e Qualificação em Cultura na Bahia

Sem título1.pngFoto: Lucas Rosário

Dois dias de encontros, debates, interações e encaminhamentos movimentaram o auditório do Museu de Arte da Bahia (MAB), no Corredor da Vitória, em Salvador. O Seminário de Formação e Qualificação em Cultura, promovido pela Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (SecultBA), através da Superintendência de Desenvolvimento Territorial da Cultura (Sudecult), reuniu em sua programação representantes de todas as universidades públicas federais e estaduais da Bahia, além de organizações sociais e instituições apoiadas pelo Fundo de Cultura que promovem trabalhos voltados para a qualificação.

“A formação e qualificação cultural são pontos essenciais para que a gente consiga consolidar um Sistema de Cultura, ou seja, uma organização da cultura na Bahia. Entendemos que o seminário conseguiu atingir os seus objetivos, promovendo o encontro entre as universidades e as instituições sociais, e a retomada da articulação da Rede de Formação em Cultura na Bahia. Além dos objetivos que a própria SecultBA coloca, como priorizar a formação para o desenvolvimento cultural de nosso estado”, avalia o superintendente de desenvolvimento territorial da cultura, Sandro Magalhães.

O último dia do seminário, nesta quarta-feira (01), teve início com a apresentação das experiências das universidades públicas da Bahia na formação de gestores culturais. As instituições de ensino tiveram a oportunidade de falar sobre os projetos desenvolvidos e em andamento dentro de suas estruturas organizacionais para o campo da formação cultural. Estiveram presentes os representantes Paulo Roberto Baqueiro, da Universidade Federal do Oeste da Bahia (UFOB), Laura Bezerra, da Universidade Federal do Recôncavo Baiano (UFRB), Ernani Coelho, da Universidade Federal da Bahia (UFBA), Fernando José Oliveira, da Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC), Sérgio de Oliveira, da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESC), Isa Trigo, da Universidade do Estado da Bahia (UNEB), e Iza Magno, da Universidade Federal Sul da Bahia (UFSB).

Sem título2.pngFoto: Lucas Rosário

“As universidades precisam pensar o lugar da cultura dentro delas e, em articulação com a SecultBA, debater a importância da formação em cultura, de forma ampla, bem diversificada, buscando alternativas de como cobrir o estado da Bahia inteiro e evitar sombreamentos, pensando também em como potencializar aquilo que já fazemos”, declara Laura Bezerra, representante da UFRB no seminário, e que no ano de 2012, quando estava como assessora na SecultBA, foi uma das responsáveis pela criação da Rede de Formação em Cultura, sobre a qual ressalta a necessidade de ser retomada.

A programação da tarde foi reservada para debates, propostas e encaminhamentos. Além de ouvir as sugestões e considerações da sociedade civil e representantes de instituições presentes, a SecultBA apresentou três propostas a serem articuladas a partir do seminário: a retomada da Rede de Formação e Qualificação em Cultura, junto às universidades e instituições que atuam no campo; o fomento, com apoio da SecultBA, a encontros territoriais realizados pelas universidades, voltados para as instituições do campo da formação cultural, valorizando os arranjos locais; por fim, foi proposta a realização de um segundo Seminário de Formação e Qualificação em Cultura, com previsão para o mês de março do próximo ano, momento em que serão avaliados os arranjos desenvolvidos até então e será aberto o planejamento das ações da rede para o ano de 2018. O objetivo é que o próximo seminário seja capitaneado por uma das universidades públicas presentes no evento, e que aconteça no interior do estado.

Secretaria de Cultura da Bahia e Universidade Federal do Recôncavo Baiano promovem o evento de encerramento do Curso de Formação para Gestores e Conselheiros Municipais de Cultura

Card Gestores 5-01

Em uma ação pioneira, o  curso Formação para Gestores Públicos Municipais de Cultura teve o objetivo  de contribuir para a qualificação dos gestores públicos e de lideranças do campo da cultura,  a formação discutiu a construção de políticas públicas com foco na promoção dos direitos culturais.

Promovido pelo Centro de Cultura, Linguagens e Tecnologias Aplicadas (CECULT) da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) através da Pro-reitoria de Extensão (PROEXT/UFRB), em parceria com a Secretaria de Cultura da Bahia (SECULT/BA) através da Superintendência de Desenvolvimento Territorial da Cultura – Diretoria de Territorialização da Cultura e Coordenação de Sistemas e Projetos Especiais, o curso de extensão teve como público alvo gestores públicos municipais de cultura, conselheiros de cultura e agentes culturais dos Territórios de Identidade do Recôncavo, do Vale do Jequiriçá e do Portal do Sertão.

O encerramento do curso acontece no próximo dia 10 de novembro de 2017 na cidade de Santo Amaro, Território de Identidade do Recôncavo, e integra a programação do III Encontro Internacional de Economia Criativa – Áfricas Criativas (http://www.iiieiec.ufba.br).

Durante todo o dia uma série de apresentações culturais tomarão os palcos da Casa do Samba, Teatro Dona Canô e Praça do Amparo, as atrações culturais são originárias dos municípios participantes do curso promovido pela UFRB e (SECULT/BA) e a realização dos shows conta com a parceria dessas prefeituras. Dentre as atrações culturais estão a Fanfarra do Colégio Rômulo Galvão e Puxada de Rede de São Felix, o Maculelê de Santo Amaro, Bumba Meu Boi de Água Fria, a Chegança e o Zé do Vale de Saubara, a Fanfarra do Colégio Estadual Ana Lucia Castelo Branco  de Brejões, o samba de roda de Terra Nova, exposição culinária de Tanquinho e o Coletivo Cultural O Beco é Nosso de Feira de Santana.

A cerimônia de encerramento do curso acontece as 16h no Teatro Dona Canô com a presença de representantes da UFRB e SECULT/BA.

Programação

Manhã (9h30 às 12h) – Casa do Samba
Curso de Gestores e Conselheiros Municipais de Cultura: Debate no grupo sobre Perspectivas de fortalecimento
da cultura nos municípios + Construção da Carta-Manifesto – Fortalecimento da Cultura nos Municípios e
Territórios de Identidade.

Manhã (10h às 12h) – Teatro Dona Canô
10:00 – 12:00 – PAINEL – Cultura, Tecnologias e Movimentos Criativos Contemporâneos
Almoço (12h às 14h) – Casa do Samba
12:00 – 12:30 – Chegança (Saubara)
13:30 – 14:00 – Fanfarra Colégio Estadual Rômulo Galvão (São Félix) – CASA DO SAMBA – TEATRO DONA CANÔ

Tarde (14h às 18.30h) – Teatro Dona Canô
14h às 18h – Exposição de produtos da culinária local (Tanquinho) – FOYER
14:00 – 14:30 – Puxada de Rede (São Félix) – ÁREA EXTERNA
14:30 – 16:30 – PAINEL – Festas: Economia Criativa e Engajamento Social – TEATRO DONA CANÔ
16:30 – 18:00 – Maculelê (Santo Amaro) – ÁREA EXTERNA – Cerimônia encerramento do curso de Formação de Gestores e Conselheiros Municipais de Cultura,
leitura da carta e entrega de certificados
18:00 – 18:30 – Fanfarra Colégio Estadual Ana Lúcia Castelo Branco (Brejões) – CORTEJO TEATRO DONA CANÔ –

Noite (18h às 23.00h) – Praça do Amparo
18:30 – 19:00 – Bumba Meu Boi (Água Fria)
19:00 – 19:30 – Zé do Vale (Saubara)
19:30 – 20:00 – Samba de Roda (Terra Nova)
20:00 – 21:00 – O Beco é nosso (Feira de Santana)

Fórum de Cultura da Bahia realiza encontro para debater os desafios das políticas públicas culturais

O Fórum de Cultura da Bahia realizou no ultimo domingo (29) na cidade de Lafaiéte Coutinho o projeto, Diálogos do Fórum de Cultura da Bahia, que discutiu os “Desafios Territoriais para Implementação das Políticas Culturais.”

WhatsApp Image 2017-10-30 at 09.31.50 (2)(Integrantes do Fórum de Cultura da Bahia)

 O fórum contou com a representação do Conselho Estadual de Cultura da Bahia, da associação dos Dirigentes Municipais da Bahia (ADIMCBA), do Prefeito do Município de Lafaiete Coutinho, João Freitas, da Secretária Municipal de Educação e Cultura e da Coordenadora Municipal de Cultura. Também estiveram presentes ao fórum, representantes do Território do Vale do Jiquiriçá.

Sem título.png(Prefeito de Lafaiete Coutinho, João Freitas, prestigia a realização do Fórum)

O evento também contou com a representação da Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (SECULT/Ba). O Diretor de Territorialização da Cultura (DTC), Wdileston Souza,  representou a Secretária Estadual de Cultura, Profª.  Arany Santana e o Superintendente de Desenvolvimento Territorial da Cultura, Sandro Magalhães.

WhatsApp Image 2017-10-30 at 09.31.50.jpeg(Wdileston Souza, Diretor de Territorialização da Cultura do Estado da Bahia)

Wdileston Souza, destacou a importância do Fórum de Cultura da Bahia para o fortalecimento das políticas culturais no estado, abordou ainda sobre os avanços no processo de territorialização da cultura alcançados nos últimos 10 (dez) anos com a interiorização das políticas culturais através da institucionalização da cultura e uma maior interlocução com a comunidade cultural do estado. Salientou ainda, a realização do Projeto Escolas Culturais e do Programa Municípios Culturais, que são ações imprescindíveis para o fortalecimento da territorialização da cultura.

 

Seminário de Formação e Qualificação em Cultura divulga programação e inicia inscrições online.

O Seminário de Formação e Qualificação em Cultura alinha-se com as orientações do Sistema Estadual de Cultura que tem entre os seus objetivos promover a formação e a qualificação de públicos, criadores, produtores, gestores e agentes culturais.
Confira a programação do Seminário de Formação e Qualificação em Cultura programado para os dias 31 de outubro e 1 de novembro no Museu de Artes da Bahia, localizado no Corredor da Vitória, em Salvador.
O encontro será um momento de mobilização e intercâmbio Universidades e organizações sociais baianas que atuam na formação e qualificação no campo cultural, com intuito de debater sobre o desenvolvimento da cultura a partir do estímulo e ampliação de programas, cursos e processos formativos voltados para de agentes culturais.

A pré-inscrição pode ser feita online ( https://goo.gl/BXfHy3 ), o que não garante o acesso ao evento, já que o espaço será sujeito à lotação. Os interessados devem comparecer no dia 31, às 9h, no MAB, para garantir sua vaga.

O Seminário é promovido pela Secretaria de Cultura da Bahia, através da Superintendência de Desenvolvimento Territorial da Cultura (Sudecult).

Card seminário programacao reduzido

Secretária Executiva do CONSID se reúne com coordenadores da Diretoria de Territorialização da Cultura pra discutir futuras parcerias.

Érica Seixas, atual secretária de executiva do Consorcio Intermunicipal do Oeste Baiano (CONSID) se reuniu na última quinta-feira (19/10) com os atuais coordenadores da Coordenação de Articulação e Mobilização em Salvador.

WhatsApp Image 2017-10-19 at 11.47.25.jpeg(Erica Seixas, reunida com os coordenadores da DTC)

O objetivo da reunião era discutir a possibilidade de disponibilizar o consorcio como parceiro da Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (SECULT-BA) nas próximas ações que serão implementadas e fortalecer também a estruturação da região e suas principais reivindicações, visando beneficiar todo o oeste baiano, com uma ação cada vez maior das prefeituras municipais.

“Essa parceria reflete na maior abrangência das ações da SECULT”, disse o atual coordenador da Coordenação de Articulação e Mobilização da Cultura, Kid Will.

A Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (SECULT/Ba) realiza pré produção do Projeto Roda Cultura.

Viagem Roda Cultura 061.jpg(Rogério Costa Prefeito de Santo Estevão e presidente do Consórcio do Portal do Sertão)

 

A Diretoria de Territorialização da Cultura – DTC realizou entre os dias 16 a 21 de outubro visitas de pré-produção  do Projeto Roda Cultura. As visitas institucionais foram realizadas através do Diretor Wdileston Souza e a equipe da Secult/Ba.

O Projeto Roda Cultura é uma ação de interiorização da Secretaria de Cultura e suas vinculadas que percorrerá os territórios de identidade Recôncavo, Baixo Sul e Portal do Sertão, e realizará visitas a 17 municípios baianos São Félix, Cachoeira, Santo Amaro, Cruz das Almas, Conceição do Almeida, Santo Antonio de Jesus, Nazaré, Valença, Gandú, Camamú, Ituberá, Cairú, Irará, Santa Barbara, Feira de Santana, Antonio Cardoso e Santo Estevão.

O objetivo do Projeto é possibilitar um melhor conhecimento sobre as demandas territoriais e consequentemente o desenvolvimento das políticas públicas culturais qualificadas e com uma atuação territorial mais efetiva, fortalecendo a relação institucional e a territorialização da cultura no estado.

Viagem Roda Cultura 060.jpg(visita a comunidade quilombola de Paus Altos – Antonio Cardoso)

O projeto contará com celebrações culturais, visitas aos patrimônios culturais, rodas de conversa, visitas aos projetos, espaços e instituições culturais dos municípios, além disso, serão realizadas apresentações artísticas locais.

Para mais informações acesse o site: http://www.cultura.ba.gov.br ou https://territoriosculturaisbahia.wordpress.com

Viagem Roda Cultura 035.jpg(visita ao Ponto Cultura da Comunidade de São Nicolau e a Diretoria de Cultura de Santa Barbará.)

Coordenação de Incentivo e Promoção da Cultura visita projetos em 3 (três) territórios de identidade da Bahia

Na última semana representantes da Superintedência de Desenvolvimento Territorial da Cultura, estiveram presentes em três Territórios de identidade da Bahia para acompanhar projetos financiados pelo Edital Territórios Culturais, sendo eles: Litoral Sul, Recôncavo, Litoral Norte e Agreste de Alagoinhas.

O Edital Territórios Culturais tem o objetivo de Apoiar propostas de cooperação e/ou intercâmbio abarcando, no mínimo, 03 (três) municípios baianos de um mesmo Território de Identidade, visando incentivar ações conjuntas e promover colaboração mútua, interação, troca e circulação de ideias, técnicas, fazeres, saberes, bens e serviços culturais.

Dentre os projetos acompanhados, houve visita a mais uma etapa do projeto realizado pelo Fórum de Agentes, Empreendedores e Gestores Culturais do Território Litoral Sul (FAEG-Sul). As atividades aconteceram na última quinta feira (19/10), no Centro Educacional Maria Santana, na cidade de Pau Brasil, das 9 às 16 horas. Pela manhã houve diversas apresentações culturais e a tarde foram realizadas oficinas de “Comunicação, Cultura e Cidadania” ministrada pela jornalista Vera Rabelo, “Gestão Cultural” que foi dirigida por Bruna Setenta, agentes culturais do Litoral Sul.

FAEG Itinerante em São José da Vitória - Eva Lima atriz e proponente do projeto - Foto Alex Santos

(Fórum de Agentes, Empreendedores e Gestores Culturais do Território Litoral Sul (FAEG-Sul)

Estiveram presentes a prefeita da cidade, Barbara Suzete e a Secretária de Educação e Cultura Raimunda Lucia, O pressidente do FEAG SUL, Victor Aziz, a Coordenadora de Incentivo e Promoção dos Territórios Culturais da Secult-Ba, Mirnah Leite, além de dirigentes de cultura de outros municípios, representantes do FAEG e agentes culturais dos municípios circunvizinhos.

O FAEG-Sul consiste em um projeto que articula ações culturais conjuntas e integradas nos municípios Itapé, Santa Luzia, Itapitanga, Mascote, Maraú, Almadina, São José da Vitória, Pau Brasil, Jussari e Itajú do Colonia. Ao todo serão dez encontros entre os meses de março a dezembro de 2017, com atividades de formação para um público de dirigentes, gestores, agentes e empreendedores culturais, do Território Litoral Sul da Bahia.

Além desse evento, a coordenação visitou outro projeto na cidade de Alagoinhas o projeto “Seu Balanço é Dança”.  O evento realizou capacitação em dança para jovens e adultos. A proposta era atingir um público entre 13 e 35 anos, dos municípios Catu, Entre Rios e Araçás que fazem parte do Território Litoral Norte e Agreste Baiano, porém a realidade superou as expectativas e o público alcançado teve uma diversidade maior do que a esperada. Através da realização de oficinas de dança aplicando as mais variadas técnicas como: Jazz, Moderno, Contemporâneo, Afro, Ballet e Improvisação. O projeto promoveu a socialização e participação de todos os envolvidos, com o lema “O Corpo que Dança” o projeto incluiu todos aqueles que se propuseram a dançar, abraçando os alunos com as suas individualidades.

A culminância que aconteceu na última sexta-feira (20/10), no Centro de Cultura de Alagoinhas, apresentou o resultado das oficinas, e contou com a presença da Prefeita de Araças, Gracinha, o Secretário de Cultura de Catu, Júnior, e o Secretário de Cultura de Entre Rios, Garfor. Os grupos formados nos municípios envolvidos fizeram apresentações com diferentes estilos de dança, as coreografias foram inspiradas nas realidades culturais e sócio-geográficas dos municípios, com músicas que fazem referência à feira e às águas, por exemplo.  A equipe se preocupou em trazer para o palco um espetáculo que retratava a diversidade das turmas e as individualidades de cada aluno. Evidenciando na prática que qualquer corpo é capaz de dançar e a dança além de ser uma arte é também uma forma de expressão e comunicação.

WhatsApp Image 2017-10-24 at 11.24.00

(Projeto seu balanço é dança)

Dentre os projetos acompanhados pela coordenação, houve também acompanhamento do projeto “Circulando com as Mulheres do Samba de Roda”, que tem como objetivo  Circular com 15 Mulheres de Samba de Roda em 4 localidades do Recôncavo Baiano, visando a transmissão de saber e salvaguarda do samba de roda, sempre associados à apresentações musicais conjuntas. As atividades aconteceram no último sábado (21/10), no Colégio Estadual Mandinho de Souza Almeida, no município de Conceição do Almeida.

WhatsApp Image 2017-10-21 at 11.44.36

(Circulando com as Mulheres do Samba de Roda)

Durante o evento houve a exibição do vídeo documentário Mulheres do Samba de Roda, produzido em 2015- elas contam suas histórias de vida e interpretam, pela primeira vez, sambas favoritos, retratando seus saberes e protagonismo no enfrentamento de toda forma de violência contra a mulher, além da conquista do direito de se expressar, de ter renda própria, saúde, educação. Logo após a exibição do documentário, houve uma roda de conversa, são marisqueiras, agricultoras, comerciantes. Mulheres que desenharam sua marca na estética e na política da cultura popular do recôncavo. No período da tarde houve performance musical.

No evento estiveram presentes representantes da Secretaria de Educação de Conceição do Almeida, Estudantes da UFBA do curso de Museologia, a assessora da Coordenação de Incentivo e Promoção dos Territórios Culturais da Secult-Ba, Melina Meirelles, o Grupo de Samba de Roda Mirim de Conceição do Almeida.