Governo do Estado da Bahia promove debate sobre política e gestão culturais

img_04061-2

As culturas são diversas. O desafio do momento é organizar a gestão cultural. Esta constatação orientou os debates do IV Encontro de Política e Gestão Culturais, realizado terça-feira (25) e quarta-feira (26) em Feira de Santana, principal município do Portal do Sertão.

O Encontro teve programação enxuta e público muito qualificado, que compartilhou experiências exitosas com os gestores do Poder Público, e formulou encaminhamentos para melhorar a Gestão da Cultura, sintetizados na Carta de Feira de Santana.  Os trabalhos foram abertos na manhã do dia 25 com o Secretário de Cultura Jorge Portugal e a palestrante convidada, professora Cláudia Leitão, que falou sobre os futuros rumos da cultura no Brasil e na Bahia.  “É preciso resistir ao desmonte da cultura”, disse a professora e antropóloga, em relação ao atual cenário nacional de retrocesso dos direitos conquistados.

Destaque do IV EPGC foi a discussão em torno de dois importantes Programas do atual governo: o Municípios Culturais apresentado pela Secretaria de Cultura da Bahia às autoridades municipais presentes no Encontro e o Escolas Culturais, cujo lançamento aconteceu quinta-feira, dia 27, no município de Itabuna, com a presença do Governador Rui Costa e outras autoridades.

O Programa Municípios Culturais tem a adesão de 279 prefeituras baianas. Seu lançamento oficial pelo Governador Rui Costa será anunciado em breve, porém, devido ao interesse dos gestores municipais, a SECULT explanou as diretrizes do Programa e tirou dúvidas dos participantes. O superintendente de Desenvolvimento Territorial da Cultura, Sandro Magalhães, explicou por que os municípios precisam participar desta ação: “O programa viabiliza a organização e criação de órgãos e leis fundamentais para a organização e desenvolvimento da cultura”, disse.

O professor João Rocha, autor do livro ‘Uma história do exercício da cidadania no Brasil’, criticou a exclusão que segundo ele, as elites impõem ao povo para manter seus benefícios. “É preciso resistir para defender nossos direitos”, disse, com entusiasmo. Letícia Lima, diretora de Cultura de Gentio do Ouro, lamentou a desarticulação do segmentos cultural na cidade, e quis saber como fazer para melhorar a situação, pois gostaria de mudar esta realidade que a entristece.

Da agenda de trabalho, se destacaram, ainda, as apresentações dos dirigentes da SECULT e suas vinculadas e as reuniões de seis fóruns da sociedade civil constituídos nas edições anteriores do Encontro: IX Fórum de Dirigentes Municipais de Cultura, IV Fórum de Conselhos Municipais de Cultura, o IV Fórum de Legisladores Culturais, o II Fórum de Gestores Sociais da Cultura e o II Fórum de Espaços Culturais.

O IVEPGC contou com a presença de empreendedores da cultura que expuseram seus produtos em uma mostra de feira criativa, que teve a exposição de pinturas de Rouldeny Plebeu e sua filha Aquinoan (Vitória da Conquista), exposição de cordel e xilogravuras, da mestra Janete Lainha (Ilhéus), e moda com Flávia Sacramento e Dão Turbantes (Feira de Santana).  O tom de celebração foi dado pelos Pontos de Cultura, Associação Cultural Coleirinho da Bahia: Da Quixaba a Quixabeira: samba, cultura afro-descente e desenvolvimento sustentável na Matinha, Associação Cultural e Carnavalesca Big Bloco do Gueto – BBG Ponto de Cultura: Coral Cant@rt.com, Instituto Odu Odara com o Ponto de Cultura Zambé Cultura e Educação e Arte, cultura, atitude e objetividade – AÇÃO, Ponto de Cultura Ação – A Repercussão do Som e a dançarina Carmem Silva, proponente do Edital Territórios Culturais 2016 com o projeto “Dança dos Orixás”.

A síntese do IV EPGC pode ser encontrada na fala da professora e antropóloga Claudia Leitão, palestrante convidada: “a hora é de resistir”. Fortalecer a gestão cultural na Bahia é uma das formas de construir esta resistência.

ÁLBUM DE FOTOS

Este slideshow necessita de JavaScript.

Anúncios

Projeto Seu Balanço é Dança beneficia Catu, Entre Rios e Araçás

dancacati

Mais que ensinar técnicas de coreografia, o Projeto Seu Balanço é Dança tem como objetivo fazer as pessoas entenderem o movimento do corpo como oportunidade de conhecimento e de transformação do mundo. Desenvolvido nas cidades de Catu, Entre Rios e Araçás, o projeto Seu Balanço é Dança tem a supervisão da Superintendência de Desenvolvimento Territorial da Cultura (Sudecult), órgão da Secretaria de Cultura da Bahia (SecultBA).

Em Araçás, onde começam hoje (12) as inscrições, os interessados devem procurar o Departamento de Cultura da prefeitura, na avenida Eronildes Soares, Bomfim, número 1. Mais informações no telefone (75) 3451-2142.

O Projeto Seu Balanço é Dança começou em Catu, este mês, no Centro de Cultura Municipal, onde 40 alunos terão capacitação em aulas distribuídas em cinco módulos: balé, jazz e moderno, contemporâneo, afro e improvisação.03

Ao final das oficinas, será realizada a montagem de uma coreografia com a participação de instrutores e participantes. A capacitação em dança foi contemplada no Edital – Territórios Culturais 2016.

Os três municípios participantes fazem parte do Território Litoral Norte e Agreste Baiano. O planejamento didático das oficinas parte da premissa de que a expressão corporal é uma comunicação e também pode ser considerada uma dança. O projeto tem como gestores Ademir Souza, Vilmar França e Osmar Júnior, que fizeram uma capacitação em gestão de projetos para participarem dos editais da SecultBA, a fim de fortalecer o desenvolvimento cultural baiano.

Bailarino clássico e bacharel em Artes pela Universidade Federal da Bahia, Ademir vem lecionando há seis anos para 500 alunos do Núcleo de Ballet da Escola Maria Carvalho (Fundação José Carvalho) e da Escola Contemporânea de Dança (Prefeitura Municipal de Pojuca). “O entendimento da dança também pode gerar renda”, acrescentou.

Os gestores do projeto realizaram anteriormente o Projeto Mulher e Mestra: Memórias de Dona Lindu, mestra de cultura popular, em Pojuca; e um encontro de grupos de samba de roda e de viola de 22 municípios do Litoral Norte Agreste Baiano.

Serviços:
Projeto Seu Balanço é Dança
Inscrições abertas – Edição Município de Araçás
Mais informações – (75) 3451-2142.

SecultBA convoca municípios para adesão a programa de fortalecimento do setor cultural

sem-titulo

Todos os prefeitos e prefeitas da Bahia estão individualmente recebendo um ofício assinado pelo secretário de Cultura da Bahia, Jorge Portugal, numa iniciativa para desejar sucesso no mandato e estreitar relações com as gestões municipais. Enviado pelos Correios para os 417 municípios baianos, o documento resume as frentes de atuação da Secretaria de Cultura do Estado (SecultBA), com destaque para o novo programa Municípios Culturais, que se compromete justamente com a soma de forças entre as instâncias de governo para o fortalecimento do setor cultural. Os gestores públicos têm a data limite de 31 de março de 2017 para formalizar o interesse de participação. Até o momento, 68 municípios já procederam a adesão.

Continuar lendo

SecultBA e UFRB firmam parceria

20170210_105918

A Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (SecultBA), por meio da Superintendência de Desenvolvimento Territorial da Cultura (Sudecult), firmou parceria com a Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB), através da sua Pró-Reitoria de Extensão, para atender a formação de gestores e agentes culturais dos territórios de identidade, demanda prioritária das conferências territoriais de cultura. A proposta do curso foi elaborada e será ministrada por professores do Centro de Cultura, Linguagens e Tecnologias Aplicadas (Cecult) da UFRB integrantes do grupo de pesquisa e extensão MOTRIZ. A parceria foi formalizada como atividade de extensão da Universidade.

Continuar lendo

Prefeito de Itaberaba visita SecultBA e faz adesão ao programa Municípios Culturais

20170126_100139

Vladimir Pinheiro, diretor de Territorialização da Cultura; Lila Silva, coordenadora de Sistemas e Transversalidade da Cultura; e Ricardo Mascarenhas, prefeito de Itaberaba

Itaberaba, localizada no Território de Identidade Piemonte do Paraguaçu, foi o 27º município baiano que aderiu ao programa Municípios Culturais, realizado pela Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (SecultBA). Nesta quinta-feira, 26 de janeiro, o prefeito Ricardo Mascarenhas compareceu pessoalmente à sede da SecultBA para formalizar seu interesse na pauta e assinar o Termo de Adesão a esta iniciativa que objetiva o fortalecimento do setor cultural em todo o estado, por meio da consolidação do Sistema Estadual de Cultura e da promoção de ações culturais estruturantes compactuadas entre os poderes públicos do Estado e dos Municípios.

Continuar lendo